Pachamama

SINOPSE

Tupã com seu próprio pensamento criou Petenguá, o cachimbo sagrado, e nele soprou o espírito de Nhandessi ou Pachamama – a Mãe Terra.

Pachamama é a Deusa da Fertilidade e na linguagem Quéchua dos povos indígenas da América do Sul significa Pacha-universo, mundo, tempo, lugar e Mama – Mãe – Mãe Terra.

No espetáculo Pachamama aparece na forma de uma velha composta por galhos que exalta a natureza em canto ritual com os quatro elementos: terra, água, fogo e ar; o espetáculo narra à história da criação do mundo através de referências extraídas de lendas indígenas, mostra o surgimento dos seres da natureza e dos primeiros humanos: Tupã Mirim e Mavutzinim e de seus filhos Nahnderu-Guaçu e Nanderykei inimigos desde a infância. Os irmãos enfrentarão vários conflitos de ódio até descobrirem que somente o amor poderá salvar Pachamama da destruição.

O Projeto “Pachamama” foi aprovado no Edital PROAC de Aprimoramento Técnico – Secretaria do estado da Cultura – Governo do Estado de São Paulo, onde foi iniciada a produção, três profissionais foram contratados (Catin Nardi, Héctor López Girondo e Paula Velozo) e grande parte da criação foi feita em processo colaborativo em oficina aberta.

 

JUSTIFICATIVA

O caos moral que vive o ser humano na atualidade: o culto a violência, a perda do contato físico, do aperto de mãos, da amizade pessoal em detrimento das relações virtuais, dentre tantas outras questões, afasta a cada segundo o homem de sua natureza sagrada desarmonizando sua relação com o todo, com a Mãe Terra.

Como contribuir para alertar sobre a urgência do caminho do coração? Aí chega “Pachamama”, que além do simples significado, é um poderoso ritual de agradecimento de alguns povos andinos à Mãe Terra.

“Pachamama” é uma forma de oração, um bilhete na garrafa jogada ao mar, um pedido de paz onde o coração é o único caminho e é ele que nos leva aos ensinamentos ancestrais, aos povos indígenas, aos xamãs, na tentativa de oferecer uma singela mas verdadeira contribuição e influência para nossas crianças e quiçá tocar o coração dos adultos com os cantos indígenas, com os bonecos extraídos de materiais da natureza, com as lendas milenares indígenas que nos traz tantos ensinamentos e reflexões.

 

CONCEPÇÃO CÊNICA

Neste espetáculo, a Cia Mariza Basso dá início à pesquisa com objetos naturais; os bonecos criados por Catin Nardi (criador dos Patos de cabaça da série Hoje é Dia de Maria) especialmente para o espetáculo “Pachamama” foram feitos com galhos, cabaças, coités, sementes, penas, madeiras, palha da costa, bambus, etc. “Pachamama” fará parte da série de três espetáculos que chamaremos de Trilogia da Criação, onde serão abordadas três visões ancestrais da criação do mundo: indígena, africana e oriental, cada qual com sua filosofia de exaltação à natureza.

 

FICHA TÉCNICA

 Espetáculo: Pachamama

Duração: 46 minutos

Técnica: manipulação direta

Direção Geral, concepção, sonoplastia, solista: Mariza Basso

Direção de cena: Marcio Pimentel

Criação dos Bonecos: Catin Nardi

Pesquisa dramatúrgica: Héctor López Girondo

Preparação vocal: Paula Velozo

Designer Gráfico: Emerson Gomes Vanderlei

Secretária: Marcia Basso

 

ESTREIA 22 DE ABRIL DE 2017 – FESTIVAL CALI UN SUEÑO CON TÍTERES – CALI/COLÔMBIA

                                                   

 

ESTREIA NACIONAL – 11 DE JUNHO/2017 – SESC BAURU/BRASIL

(FOTOS ERIC SCHMITT)